4 dicas de como desenvolver a criatividade nos estudos

6 minutos para ler

Algumas pessoas dizem que ser criativo é um talento, outras costumam pensar que criatividade é algo que se adquire na prática. De toda forma, a criatividade é um papel essencial quando se busca ser inovador  de maneira a trazer resultados diferentes.

A criatividade pode ser encontrada em diversos aspectos no dia a dia. Podemos desenvolver processos criativos para fazer até a tarefa mais cotidiana, como arrumar a casa. Cada um tem seu modo particular de desenvolver essa ação.

Com os estudos, não é diferente. Cada vez mais crianças e jovens buscam formas singulares de aprender uma nova temática. Afinal, os métodos tradicionais de educação já demonstraram que não são de todo o modo suficiente.

Essa premissa é possível de ser percebida com os cursinhos pré-vestibulares, por exemplo. Os cursinhos são reforços da educação básica voltada para as provas de ingresso na graduação.

Esses reforços, no entanto, são feitos a partir de muita criatividade. Lá, são encontrados vários métodos diferentes para tentar suprir a defasagem do ensino brasileiro, muito pautado no processo de educação tradicional.

Mas, como desenvolver essa criatividade para estudos de forma contínua e sem medo de errar? Continue lendo este artigo para saber!

Métodos criativos x métodos tradicionais

Para entender como se desenvolve a criatividade nos estudos, precisamos levar em consideração os métodos criativos em relação aos métodos tradicionais na educação.

No sistema tradicional de educação o professor é a voz ativa e principal dentro da sala de aula.

É ele quem dá a ordem da ação e os alunos apenas reproduzem o conhecimento, geralmente de forma teórica. Esse é um sistema ainda muito utilizado nas escolas brasileiras.

Para realizar um sistema diferente de organização da aula, os professores precisam inovar e esbanjar criatividade.

Quando um professor passa a voz para um aluno, ele automaticamente instiga o estudante a achar uma saída para aquele problema.

Mesmo que o problema não seja de fato solucionado da forma certa, o aluno teve que utilizar de ferramentas criativas para responder às questões.

Assim, o professor passa de voz principal, para alguém que media as formas criativas de seus alunos.

Por exemplo, se um professor está explicando sobre saúde bucal e pergunta quais as possíveis causas de uma extracao de dente, os alunos precisam procurar maneiras de responder essa questão mesmo sem saber a resposta correta.

Sim, essa é uma das diversas formas de estimular a criatividade dos alunos sem alterar os conteúdos que precisam ser estudados.

Agora, existem algumas técnicas que ajudam a aprimorar a criatividade dos estudantes na hora dos estudos. E são essas estratégias que vamos falar neste artigo, confira!

1 – Ler, ler e ler

A leitura pode ser um pesadelo para uns e um refúgio para outros. Mas, não tem jeito. É por meio do hábito da leitura que a criatividade é aguçada no nosso cérebro.

Como isso funciona? A leitura nos dá repertório. Quanto mais lemos sobre diversos assuntos, mais sabemos falar sobre temas variados. A prática de ler diariamente estimula a imaginação e consequentemente nos torna mais criativos.

Comece lendo temas que você gosta. Não interessa o tipo de assunto, a leitura prazerosa pode ser muito fortalecedora para nossa criatividade.

Mas, se você tem um objetivo de estudar uma especialidade, é recomendável que leia sobre assuntos da área.

Por exemplo, se você se interessa por saúde ou odontologia, ler sobre as formas de  implante dentario ou sobre tratamentos ortodônticos é uma boa ideia!

2 – Alimente o cérebro com novidades

Sim, seu cérebro precisa de estímulo para ser criativo. Manter uma rotina muito comum pode ser um problema para quando você precisar pensar de forma diferente.

Para isso, você precisa alimentar seu cérebro com novidades. Tente estudar em lugares distintos do que você está acostumado pelo menos 2 vezes na semana.

Procure músicas diferentes das quais você está habituado a ouvir. Ande por lugares que nunca visitou antes.

Esses pequenos detalhes ajudam a estimular o cérebro para quando você se deparar com algum tema difícil, como quais os efeitos de um tratamento de canal para a saúde bucal, por exemplo. Assim você estará preparado para fazer seu cérebro trabalhar!

3 – Exercite sua memória

Ser criativo demanda o trabalho de algumas partes do nosso cérebro, uma delas é o campo da memória.

Quando estamos estudando, trabalhando ou aprendendo algo novo, certas partes do nosso cérebro ficam mais ativas que outras.

É por isso que precisamos estimulá-lo para que nossa memória de trabalho, como é chamada a memória temporária que se origina através de estudos e leituras por exemplo, fique ativa.

A memória de trabalho é muito eficiente quando precisamos lembrar uma frase ou conceito que acabamos de aprender.

Por exemplo, você está estudando sobre saúde bucal e leu sobre os benefícios do aparelho invisivel, depois de um tempo quando perguntarem sobre o conceito deste tipo de aparelho você já vai ter em mente, através da sua memória de trabalho, sobre do que se trata.

Como ativar este tipo de memória?

Querendo ou não, a prática mais fundamental para isso é a leitura, como já enfatizado neste artigo.

Exercitar a memória demanda foco, concentração e raciocínio que também podem ser desenvolvidos a partir das novas conexões que seu cérebro faz, por meio da leitura ou de estímulos novos que ele recebe.

4 –  Mantenha-se calmo

Por fim, e não menos importante, tente manter a calma em todo o período de estudo.

Por mais que seja estressante alguns temas e difíceis a princípio, quanto mais você colocar seu corpo em situações de estresse, menos o seu cérebro vai conseguir pensar racionalmente e ser criativo.

Tente, dessa forma, fazer atividades relaxantes e, em seguida, colocar em prática os estudos. Assim, seu cérebro pode associar o prazer da primeira atividade com a necessidade de estudar.

De qualquer forma, ser criativo e, principalmente, ser criativo na hora de estudar não é uma tarefa tão simples, mas não é impossível.

Seguindo essas dicas você vai conseguir desenvolver sua criatividade e melhorar seu desempenho escolar!

Conteúdo produzido por Beatriz Estima, redatora na empresa Clínica Ideal

Você também pode gostar

Deixe um comentário